segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Vitrais




O vitral surgiu no Oriente, durante o século X, tendo movimento depois na Europa durante a Idade Média.
É um carácter de igrejas e catedrais, é também um arquitetônico gótico. Hoje podendo ser até encontrado em casas. Não era apenas para uso decorativo, mas também em conjunto para fins de ensino religioso catolicista.
As escolas da França fazem passeios as igrejas e catedrais com o objetivo na aula sobre vitrais.
Eram de inicio pequenas janelinhas compostas por vidros coloridos nas paredes. Depois se permitiu que fossem ampliados em verdadeiras grandes janelas de vidraças com coloridos intensos, brilhantes e encantadores, que refletiam a luminosidade ambiental, trazendo o efeito de espiritualidade, beleza e vida ao ambiente com a transmissão da luz através das cores. Pode-se chamar de arte em vidro, transbordando toda uma sensibilidade.
"A translucidez do vidro é o melhor caminho para a penetração do Espirito Santo no coração humano"– John Ruskin, escritor, critico de arte, poeta e desenhista.
O vitral consiste em várias técnicas, dês do fusing, fusão dos diversos vidros,Termoformado, técnica que proporciona volume tridimensional, e pintura, ou seja, seria um vitral com coloração a base de tintas.
Se tratando de arte em vitrais tenho que citar Louis Comfort Tiffany, designer de interiores, empresario e artista. Fiquei maravilhada com suas obras nos vitrais, nos diversos objetos, mas principalmente no abajur. 



Catedral de Metz

Catedral Chartres

Notre Dame

Catedral Saint-Etienne

Catedral de Brasilia-Obra Niemeyer

Tiffany Labrunum

Tiffany

Tiffany abajur

Tiffany obra 

Nenhum comentário:

Postar um comentário